Equipes com pessoas legais têm mais sucesso

Segundo o “Dilema dos prisioneiros”, a colaboração é a melhor estratégia

Formulado em 1950 pelos colaboradores Merrill Flood e Melvin Dresher da instituição de pesquisas americana, Rand Corporation, o Dilema dos prisioneiros versa que dois suspeitos (que chamaremos de Rômulo e Remo) de terem cometido um crime são interrogados pela polícia.

A polícia, por sua vez, propõe este acordo aos suspeitos, em salas separadas, para que um não possa saber a resposta do outro ao tomar sua decisão:

1. Se você confessar e ele permanecer em silêncio, você sai livre e ele paga 10 anos de prisão;
2. Se vocês dois ficarem em silêncio, ambos pagam 3 meses de prisão;
3. Se vocês dois confessarem, ambos pagam 5 anos de prisão.

A tabela a seguir expõe os resultados de cada combinação de respostas:
tabela-Equipes com pessoas legais têm mais sucesso

Como é possível verificar, se ambos silenciarem, pegarão apenas 3 meses de cadeia. Assim, a melhor resposta seria a 2, em que eles trabalhariam como uma equipe de pessoas legais.

Porém, na maioria das vezes em que esse dilema ocorre no mundo real em situações como a definição de preços de produtos entre concorrentes, por exemplo, a desconfiança instala-se e os dois temem ser passados para trás.

Logo, tanto no exemplo de Rômulo e Remo quanto em casos reais, como regra quase geral, ambos escolhem a resposta 3 e pagam 5 anos de prisão cada, o que sai bastante caro aos envolvidos.

Em analogia, em alguns casos em que surgem impasses entre colaboradores de equipes de trabalho, uma boa conversa – seja pessoalmente ou por meio de plataformas de comunicação como a Sabesim – pode fazer com que uns confiem mais nos outros e obtenham mais sucesso em seus projetos.

Deixe uma resposta